<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d14068495\x26blogName\x3dPa%C3%ADs+Barros%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://barrosao.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://barrosao.blogspot.com/\x26vt\x3d4656083727297610788', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

domingo, novembro 20, 2005

António Lourenço Fontes - Uma alma barrosã


Não resisti a publicar esta autobiografia de António Lourenço Fontes, um barrosão de alma e coração, que muito fez por esta região e com o qual muito me identifico em mutios aspectos, além de ser seu amigo.
Esta biografia foi publicada na versão digital do seu Notícias de Barroso. É um texto recente e apetece oferecê-lo assim aos nossos leitores - uma pérola - na íntegra, sem mais demoras:


AO CANTO DE UM ESPELHO - UM PADRE BARROSÃO


«1. António Lourenço Fontes.
Nasci em Cambezes do Rio, concelho de Montalegre. O mais bonito da minha terra
é a igreja, as casas velhinhas, a gente e seus usos, saberes e falares, as paisagens sobre o vale do Cávado, os montes que subi.

2. Nasci a 22.02.40. Centenário da Restauração e independência. Ergueram-se cruzeiros a comemorar. Sou signo Piscis. Aprendi a nadar em todas as águas.

3. Marcaram-me companheiros da escola: o João do Zindinho, na juventude; o
Domingos D. Batista, no Seminário. Na escola primária não fiz a 3ª classe, passei da 2ª para a 4ª por iniciativa da professora. Chamavam-me os meus irmãos: sapo, por ser pequeno, andar devagar; mais tarde padre do Grilo, pela alcunha de meu pai, O Grilo de Cambezes.

4. Poucos desportos pratiquei, eram proibidos alguns. Em criança joguei todos os jogos infantis da região. De jovem gostei de voleibol. Hoje tentei parapente, mas a idade e o reumático não o aconselham. Gosto de montanhismo, sendeirismo.
Gostar de cinema, nem por isso, dá-me sono nalguns. Gosto muito de teatro nas aldeias, sobretudo o popular. Na minha juventude gostava de ouvir e cantar o folclore da região e do Minho.

5. Nunca me vi em nenhuma profissão, dado que o sacerdócio me absorve a vida toda, e tentei aprender de tudo um pouco para ser mais útil a mim e à sociedade.

6. Episódios românticos: nos serões das férias de Natal, os encontros com a rapariga que sonhava, e as cartas que escrevia, com tinta invisível ou com códigos para ninguém ler.

7. Na juventude sobrepunha-se na política Salazar, na igreja João XXIII, no escutismo Baden Powel, na Santidade S. Teresa, na música Padre Minhava, na literatura Camilo Castelo Branco, no cinema Mario Moreno.

8. Os tabus na juventude eram muitos: tudo o que sabia bem, ou era proibido ou era pecado.

9. As maiores influências de professores vieram-me logo da profª primária, D. Laura A.F. No Seminário: Padre Minhava, Mons. Serafim, Padre Mendes.

10. Supersticioso de nascença, vou corrigindo dia a dia os mitos que herdei, de forma a não aceitar, nem fazer qualquer acto ou decisão por simples crença, magia, ou superstição.

11. Recordo às vezes acidentes de carro, de que me tenho saído são e salvo; recordo ter sido expulso do Seminário e ser readmitido sem saber porquê. Ouça esta confissão com o Alleluia de Haendel.


2ª parte

1. Sou padre católico por vocação, onde muita casualidade contribuiu. Nunca senti frustração.

2. Tudo colaborou nessa vocação: ambiente familiar, escolar, seminarístico. A vida confirmou e completou o que aí iniciei e a vida me deu.

3. Sinto-me realizado na vida paroquial que me destacou o Bispo. Nesta profissão - vocação marca-me mais que tudo, ver despertar a fé nas pessoas, quase sempre pela via material, económica, cultural, social. É também a maior alegria e maior gosto: não pregar a estômagos vazios. O maior desgosto é ver sofrer as pessoas e não lhes poder valer, não aceitarem a minha ajuda, sugestão, orientação, religião.

4. O que mais me ocupa é ler e escrever, fazer o Notícias de Barroso, agora desde 2000 atender, em vez da sacristia, no Hotel rural em Mourilhe, conviver com todos na taberna, ao serão, à roda da lareira, hoje um pouco a internet, tocar violino, piano, raras vezes.

5. A maior actividade é fazer amizades. Eu quero ter um milhão de amigos, como o Padre Zezinho. O que mais valorizo nos amigos e em mim é dar amizade sem nada esperar. Recebo de muitos amigos força, carinho, presença, ajuda, ânimo para dar andamento e sentido a cada dia. Destaco, entre muitos amigos, por exº o Tuto do Serralheiro, companheiro, solidário, espertador de valores.

6. Viajei de boleia desde os 15 aos 25 anos de carro. Gostava de falar com outras gentes e culturas. Gosto de viajar de comboio, pela mobilidade, facilidade de contactos, menos curvas, assentos mais duros e sãos. Viajo de avião por necessidade. A viajem que mais me agradou e mais distante fiz foi à Tailândia, China, e Novo México, Rio de Janeiro, e ver aplaudir a paisagem e o Cristo Rei.

7. Para mim a ecologia é a defesa da qualidade de vida que nos advém da protecção e amor à Natureza Mãe.

11. Na gastronomia aprecio carne, com certificado de região demarcada: mirandesa, barrosã, arouquesa, maronesa, grelhadas.

12. Ouço diário a RBA, RM-Montalegre, Antena 1, RR, TSF no carro e gosto muito dos noticiários, dos debates.

13. Como é possível fazer felizes as pessoas? Respondo, amando-as, ouvindo-as, dando a mão, seguindo os planos de Deus: verdade, Amor, serviço. Não ter ambições impossíveis. Armazenar apenas os gostos, esquecer os desgostos, ser optimista, ver tudo por esse prisma...

14. Gosto de satisfazer todas as curiosidades minhas e dos outros a meu respeito. Não oculto a face que está por detrás do espelho a ninguém.»
..............................

10 Comentários:

Em 15 julho, 2005 12:02, Anonymous Anónimo disse...

gtert

 
Em 23 novembro, 2005 09:04, Anonymous Anónimo disse...

Um grande Homem.

 
Em 04 dezembro, 2005 22:19, Blogger BRASIL disse...

Como ele há muitos por aí.

 
Em 27 dezembro, 2005 14:30, Anonymous Anónimo disse...

mais um a fazer o culto da personagem......

 
Em 16 janeiro, 2006 11:53, Anonymous J. Pereira disse...

Há já muitos anos que sou um grande admirador do sr. padre Fontes, pela sua sinceridade, honestidade e maneira de ver a realidade das coisas. Aproveito esta oportunidade para o cumprimentar e desejar-lhe tudo de bom, tanto na vida como na espinhosa missão do sacerdócio a que se dedicou de alma e coração. Estou convencido que se todos os sacerdotes seguissem o exemplo do sr. padre Fontes, a religião católica teria, de certeza, muitos mais seguidores com a verdadeira Fé. Obrigado sr. padre Fontes pela sua dedicação e amor aos que mais sofrem.

 
Em 08 junho, 2006 22:44, Anonymous Anónimo disse...

Very pretty site! Keep working. thnx!
»

 
Em 13 julho, 2006 18:18, Anonymous Anónimo disse...

É O NOSSO EUSÉBIO KANDO DIZEMOS A NOSSA TERRA DIZEM LOGO A TERRA DO PADRE DOS CONGRESSOS DAS BRUXAS

 
Em 22 julho, 2006 12:57, Anonymous Anónimo disse...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

 
Em 07 novembro, 2006 19:50, Anonymous Anónimo disse...

mais um paneleiro a armar-se! sabe falar português e anda aqui a por comentarios em inglês! sinceramente.

 
Em 03 fevereiro, 2007 10:34, Anonymous Anónimo disse...

Excellent, love it! »

 

Enviar um comentário

<< Inicio