<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d14068495\x26blogName\x3dPa%C3%ADs+Barros%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://barrosao.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://barrosao.blogspot.com/\x26vt\x3d1500458917007490922', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Bai lá bai, que até a barraca abana!

Numa noite passada num café das Boticas, estava um grupo de matchos barrosões a falar de sexos e f*d*s, também do desprezo pelas p**eleiragens das lesbicas, mas que um cuzinho de gaja que até é bem bom, quando um destes rapagões se põe a dizer que era capaz de enr*bar cu de gajo, apesar de não ser paneleiro!

Começam a ateimar uns com os outros que semelhante coisa não seria possível, confusão, vozes altas, quando um malandro maior se propõe a dar o cU ao rapazão, ateimando que ele não seria capaz de o enr*bar, mas que só o faria diante de aposta!

Fazem a aposta, para ser logo ali, o malandro maior baixa de repente as calças e as cuecas, vira as costas ao rapazão, e começa a dizer-lhe: malha-lhe, zimbra-lhe, f*de aí, anda lá, quero ver essa m*rda no ar!
O rapazão saca da gaita, mas apesar do incitamento do outro, não conseguia erguer a grua, talvez pelas risadas no café, ou porque realmente cu de gajo não lhe levantava o pau (esqueceu-se da sua costela de barrosão?)!Perdeu a aposta o rapazão, aposta que não era de contos ou euros, mas sim de 12kg de vitela para uma borga, claro!

Onde mais, senão nas Boticas, se apostaria um enr*banço por 12kg de vitela?História berdadeira!

7 Comentários:

Em 16 janeiro, 2007 10:01, Anonymous Anónimo disse...

Só em Boticas!

 
Em 22 janeiro, 2007 15:08, Blogger LA disse...

Isto de se tirar os textos dos outros sem dizer nada, é plágio!

http://bloguex.blogspot.com/2006/12/aposta-do-enrabano.html

 
Em 22 janeiro, 2007 16:42, Anonymous Joaquim Silêncios disse...

parabéns pelo blog. sou leitor assíduo.
se quiseres conhecer um blog também diferente no barroso vê

http://blogdosilencio.blog.com/

abraço

 
Em 23 janeiro, 2007 18:15, Anonymous DeBarroso disse...

Cenas para lamentar, no meu Barroso. Os protagonistas da historia sao de genotipo denegerado.

 
Em 24 janeiro, 2007 17:34, Blogger LA disse...

Estás completamente enganado, são da raça do caralho! Essa não lha dizias tu na cara, já te digo!

 
Em 26 janeiro, 2007 15:59, Anonymous sr disse...

nao sabia que isto estava no bloguex.

Obrigado a qeum o pos nos comentarios

 
Em 04 setembro, 2008 19:00, Anonymous abarroso disse...

Não sei se lerá o meu comentário tal a abstinência a que submete o seu blogue... e a quem o lê, como eu, que gosto de tudo que é da minha terra, até do "dos padres putanheiros". Que o são porque submeter gente com força na verga a tal privação é um pecado mortal.
Como certamente sabe já no século XV o venerável Bartolomeu dos Mártires, Bispo da Diocese de Braga (que à data incluia as nossas terras de Barroso), no célebre Concílio de Trento, bateu-se com denodo pelo casamento dos padres, certamente pela situação de mancebia que se verificava na sua diocese. Conta-se que, já exausto de tanto argumentar, e para garantir a unanimidade do não,terá exclamado: está bem, mas conceda-se uma excepção para os padres de Barroso porque não consigo aguentá-los. Homem santo mas sobretudo sábio. Tivessem aceitado e ficaria o fermento para a mais importante reforma que uma Igreja de "eunucos" nunca será capaz de fazer.
Nos tempos em que andava por aí, mais civilizadamente, o"Padre Bravo" da estória estava bem presente. E há uma expressão muito cara que se ouvia por aí: "Em Barroso, nem maricas nem apedicites"... Espero que se mantenha e que os P.Bravos continuem a ter belas primas a dedicarem a vida aos seus parentes

 

Enviar um comentário

<< Inicio